REALIDADE OCULTA QUE NÃO SE PUBLICA NA MÍDIA


O FIM DO DOLLAR

 

Crise Mundial: O dia em que o Dólar “bateu com as botas”

 

A National Inflation Association (NIA) é uma organização que se incumbiu de preparar os norte-americanos para uma hiperinflação, e com isso não apenas para sobreviver a uma crise, como também escapar da vindoura hiperinflação sem prejuízos. Por este motivo eles produziram um vídeo que nos mostra uma possível bancarrota do Dólar no futuro.

O motivo de seu receio – aproxima-se uma hiperinflação e com isso uma desvalorização total do Dólar – é o imenso endividamento do Dólar. A cifra oficial de 13,6 trilhões (13 mil bilhões) de Dólares não mostra a amplitude real da situação. Junto a isso, soma-se 6,3 trilhões de Fannie/Freddie e 61,3 trilhões de obrigações junto aos credores do sistema previdenciário, de saúde e social.

O Estado norte-americano tem obrigações na ordem de 81,2 trilhões de Dólares ou 5,57 vezes o produto interno bruto que situa-se hoje em 14,59 trilhões. O déficit do orçamento para 2010 está em 1,4 trilhões de Dólares. Para cada dia do ano!!!, o governo norte-americano tem que contrair uma nova dívida de quase 4 bilhões de Dólares. Quer dizer, ele tem que encontrar compradores para seus títulos públicos, o que está cada vez mais difícil ou impossível.

O FED anunciou a 3 de novembro mais um programa de apoio, onde 600 bilhões de Dólares serão bombeados no mercado. Até junho de 2011, 75 bilhões de Dólares em títulos públicos deverão ser vendidos aos bancos, o que irá “aguar” ainda mais o Dólar. Basta apenas o principal comprador dos Títulos do Tesouro norte-americano, a China, anunciar não estar mais disposta a financiar a dívida, pois os EUA estão a desvalorizar muito o Dólar, para que aconteça imediatamente uma bancarrota.

Rússia e China acabaram de anunciar que não utilizarão mais o Dólar como meio de pagamento para seu comércio bilateral. Com isso está encaminhada a saída do Dólar como moeda mundial de pagamento. Xia Bin, membro do Monetary Policy Committee der People’s Bank of China disse ainda em uma entrevista que os EUA deveriam equilibrar seu duplo déficit (orçamento doméstico e balança de pagamento). O país poderia conseguir isso de três maneiras, segundo Xia: redução dos gastos militares, venda de uma parte das reservas em ouro e aliviar as restrições para exportações de tecnologias.

“Os EUA não podem resolver a essência do problema se ele permitir que seu governo continue a imprimir dinheiro. Os mercados financeiros não sofrem de liquidez e o dinheiro não vai para a economia real”, disse o consultor do Banco Central chinês. O aumento da base monetária não pode ser a resposta nos EUA, pois o desemprego tem motivos estruturais e não se baseia na falta de liquidez. Lembrando, o número real de desempregados situa-se em quase 23%!

Em outras palavras, os chineses temem da mesma forma uma completa desvalorização do Dólar, pois estão sentados numa montanha verde e não estão mais dispostos a observar imóveis a situação. Não é possível sair da crise imprimindo dinheiro. Os problemas mais graves devem ser resolvidos, porém, o governo dos EUA não está disposto ou não está em condições. Ele acredita escapar dessa com mentiras, trapaças e aumentando a dívida sobre a população e atropelando outros países.

É por isso que os EUA estão praticamente falidos e a NIA crê que os americanos devem preparar algo para se proteger da desvalorização da moeda. A NIA se outorga a tarefa de alertar a população diante do iminente desastre e despertá-la de seu sono profundo. Por isso este filme. Aliás, vale exemplarmente para o Euro.

Fonte: Inacreditável



Visite sempre este website. Sempre haverá novidades e notícias que não se divulga